Tags

, , ,

Páscoa chácaraNada como um bom chocolate vindo lá das lembranças de infância para trazer o primeiro texto de 2014 para este blog. Não que não tenha viagens recentes ou antigas para recordar, mas precisava daquele sabor de vivência boa no interior a ser contada para voltar ao ritmo. E a inspiração veio assim, família reunida na chácara em Itupeva, ao redor da mesa da macarronada. Lembrávamos-nos de quando éramos crianças e nossos pais – meu pai e tio – escondiam os ovos de Páscoa no alto das árvores.

A brincadeira era acordar cedo no domingo, correr para o pomar e achar os papeis coloridos brilhando lá na copa das árvores. Eu, pequenina que só, não conseguia subir, mas ficava de olho nas piscadas do meu pai que entregavam onde o ovo de chocolate estava. Nem preciso dizer que eu e meu irmão mais novo tomávamos uma rasteira do meu irmão mais velho e dos meus primos, até então, os mais espertos.

A manhã inteira era de correria, risadas e um coelhinho espevitado, que às vezes se esquecia onde tinha largado o último ovo (no fim da brincadeira até meu pai e meu tio tinham que procurar o que faltava). Com todos os ovos reunidos, voltávamos para casa e tudo era distribuído. Pra falar a verdade, nem me lembro o que costumava almoçar naquelas épocas, minha memória só registrara o naco de chocolate gordinho, tirado bem da borda (até hoje, a minha parte preferida do ovo).

Nesta Páscoa, lamentamos a falta dos ovos e da brincadeira de esconde-esconde, mas entre uma recordação e outra da infância uma exclamação animou todo mundo:

– Gente, ano que vem teremos para quem esconder o ovo!

páscoa na chácaraSim, teremos. Considerando que meu irmão mais novo, hoje prestes a completar 28 anos, é o mais novo da família, pode-se calcular há quanto tempo pesinhos pequeninos e animados não correm naquela terra em busca de um chocolate. No ano que vem, meu sobrinho ainda não terá destreza nos pés para correr atrás dos presentes do coelhinho da Páscoa, mas sem dúvida terá o pai e um monte de tio bobo subindo em árvores – ou, pelo menos, tentando.

***

Na falta do chocolate, eu me lembrei do que comi no almoço este ano, uma bela macarronada da minha mãe com funghi porcini. Como sempre, a receita fica em outro post. Clique aqui.

páscoa na chácara