Tags

, , , ,

15 - 7“Vamos tomar um tinto?”. Assim normalmente começa um bom bate-papo colombiano antes da jornada de trabalho. O apelido dado ao café é tão simpático quanto o convite para desfrutar do “otimismo” que este estimulante proporciona. O hábito iniciado pelos tropeiros rendeu ao país, com o passar dos anos, o título de um dos melhores produtores de café do mundo.

Arrisco a dizer que a única rixa entre Colômbia e Brasil é pela taça de “o melhor tinto” (no futebol eles nem ousam a entrar no mérito e gritam ‘Neymaaaar’ quando ouvem um brasileiro falando). Na minha opinião, os dois são igualmente bons. Porém, a Colômbia tem como vantagem a excelente qualidade da água (até de torneira) e a Cordilheira dos Andes para plantar os grãos. Já o Brasil, além de ter terras de climas diversos, sabe coar café como ninguém.

Infelizmente, os colombianos aprenderam com os americanos o gosto pelo “chafé”. Em qualquer lugar que pare para apreciar a bebida, peça sempre pelo expresso, caso seja um admirador exigente. Do contrário, a chance de se sentir em um Dunkin Donuts ao degustar “um americano, por favor” é enorme.

Os vários tipos de processo para tirar um bom café na Colômbia

Cafe San Alberto em Cartagena e seus diversos processos para extrair o “tinto”

Sabendo disso, a fazenda San Alberto aproveitou a boa fama da bebida colombiana para criar uma loja boutique de degustação de tintos (fica a dica, Três Corações). Nela você escolhe a técnica pela qual deseja que seu café seja tirado. Entre tantas, optei pela que achei a mais inusitada: uma geringonça onde o café goteja por 24 horas.

Processo onde o café goteja por 24 horas (Fotos: Priscila Dal Poggetto)

Processo onde o café goteja por 24 horas (Fotos: Priscila Dal Poggetto)

O garçom que me atendeu explicou com orgulho: “este café é especial. Lá do alto a água quente goteja sobre o café por 24 horas. É uma gota a cada dois segundo, precisamente. O resultado é uma bebida concentrada, para ser tomada gelada”.

O tinto gelado é servido em uma taça semelhante a de vinho branco e com bastante gelo. O sabor é bem inusitado, chega a lembrar as cervejas de malte tostado. Tal refúgio ao calor de 40 graus de Cartagena vale cada gota.

Serviço:
Cafe San Alberto
Calle Santos De Piedra No. 3 – 86. Cartagena.

***

Neste lugar de degustação de café não tem nem açúcar à mesa e nem bolachinha para acompanhar. O purismo de sentir o aroma do café sem o artifício do doce aderi há muito tempo. Porém, ainda acho que, ao terminar a bebida, um biscoitinho adocicado sempre cai bem. Para mim, nada melhor do que uma bolacha com algum tipo de castanha. Veja uma receita que eu adoro com castanha do pará.