Tags

, , , , , ,

Islas del RosarioEl chaleco, por favor, misses…

Diálogo entre amigas:

– Sério que é pra usar esse colete?
– Estamos num barco, tem que, né.
–  Avisa aí que eu sou sereia, não preciso.

– Moço, nosotras somos “s-e-r-e-i-a-s”!

Silêncio.

Para variar, chistes em portunhol para quem fala espanhol nunca dão certo. Mas a gente achou a maior graça na piada sem graça e seguimos a contragosto de colete para as Islas del Rosario. Este paraíso no Mar do Caribe fica a uma hora de barco do porto de Cartagena. Mas vale cada gota d’água jorrada na cara durante a travessia. Porque se a orla de Cartagena está mais pra Santos do que qualquer outra coisa, as praias “del Rosario” são pequenas obras de arte em alto mar.

Entre tantas ilhas do arquipélago, paramos na Isla Baru, pela entrada do resort batizado de Gente de Mar. E conhecemos um “marítimo” local que vendia colares de coral de encher os olhos. Preços altíssimos, afinal a inflação para turista é algo que nenhuma ciência social consegue estabelecer regras.

De papo frouxo, o tal do Jorge voltou dali 5 minutos. Contou sobre a vida na ilha, onde mantimentos e qualquer coisa da terra firme chegam uma vez por semana. Também falou que vai apenas uma vez por ano até Cartagena, que gosta de futebol (Neymaaaarrr) e que se sustenta dos tais colares vendidos aos turistas. Não adiantou muito, não compramos.

Islas del Rosario 1Sem desistir, o gente de mar ofereceu um passeio de snorkel. Ia de bote até o coral para ver os peixes pelo módico valor de US$ 60. Enquanto declinava a proposta, em um piscar de olhos todos os turistas presentes no passeio (umas 30 pessoas, porque a entrada nesta praia é controlada) se apinhavam nos botes.

Quem me chamou atenção foi um chinês que ficou de tênis o tempo todo, inclusive dentro do mar. Dei risada quando ele se acomodou na embarcação. Lembrei-me da minha amiga Maísa. Ela sempre diz que se sente mais segura no mar quando está de pé de pato (no caso, para fugir de tubarões): “é tipo usar meia, sempre me sinto mais protegida com meias nos pés”. Vai ver que o chinês é assim com o tênis dele.

Só sei que quando todo mundo zarpou, inclusive o Jorge, fiquei com aquela praia de mar cristalino só pra mim! Mania de sereia, sabe.

***

Toda a região de Cartagena guarda em suas paredes segredos de 458 anos de história. E a gastronomia faz parte dela. O prato mais típico da região é o filé de pesaco empanado, acompanhado de arroz de coco e banana-da-terra (plátano) verde prensada e assada, o que eles chamam de patacón. Comi em muitos lugares este prato, mas o que mais me chamou a atenção foi a do Gente de Mar. A receita do “prato feito de Cartagena” está no post anterior, clique aqui.

Islas del Rosario 11