Tags

, , ,

Querida Lica,

Neste segundo dia de viagem conheci Lima um pouco melhor. As praças aqui são realmente encantadoras. A que eu mais gostei é chamada de Parque do Amor. Na verdade, é uma paça tão grande que passa a ser parque. O nome vem por ter a famosa estátua do casal que se beija diante do mar. Chamada de El Beso (O Beijo), ela é do artista peruano Victor Delfín.

Além da estátua, essa praça tem toda uma arquitetura diferente, inspirada no mosaico multicolorido de Antoni Gaudí no Parque Güell, em Barcelona (você já foi lá, lembra?). Frases românticas decoram esses mosaicos e, na área central, fica a tal escultura.

É bem divertido ler cada frase registrada nos muros e tentar adivinhar o motivo que levou cada mensagem daquela ser eternizada em uma parede por ladrilhos coloridos. Talvez, inspiradas pelo que existe além da mureta. Isso porque essa praça ou parque (chame do que preferir) fica no alto de uma colina e tem uma das vistas mais deslumbrantes de toda a cidade: a Baía de Lima, as montanhas de Chorillos e o Oceano Pacífico. Emociona mais do que qualquer palavra por ali desenhada, pode apostar.

Com beijo ou sem beijo, há tanto amor entre a arte, a vista, o mar e a paz que inunda esse lugar, que dá para passar horas e horas caminhando, lendo sentada na grama ou observando cada pessoa que busca um pouquinho de vida interessante neste cantinho de Lima.  Lembrei muito de você aqui, Lica, como também de todos aqueles que gostaria de dar um abraço bem apertado e um beijo estalado na bochecha, simplesmente por serem tão especiais para mim. Magia do parque, sim, mas mais ainda da vida.

***
Pouco antes de embarcar rumo ao Peru, minha sobrinha-afilhada por escolha do coração, Lica (Olivia), perguntou à mãe dela o que exatamente a “tia Pri” iria fazer no Peru. Essa garotinha de 9 anos – e de voz tão doce quanto sua imaginação – lançou, assim, uma ideia na cabeça de sua mãe: “Pri, por que você não escreve pra gente todo dia contando os encantos desse país?!”. Achei a ideia incrível. Nunca tinha escrito relatos de viagem sob um olhar infanto-juvenil. Assim, não só contei para a Lica dia por dia o que foi o Peru, como também passei a compartilhar com Sabrina, sua linda irmã de 14 anos, cada detalhe dessa história de 8 dias. Então, veio a ideia de publicar aqui, no Volto Pro Almoço, um diário de viagem especial. Linhas dedicadas às irmãs Lica e Sasá, aos amáveis irmãos Gabriel e Nina (cujo sonho do pai é retornar a Machu Picchu com os dois) e, claro, ao meu serelepe sobrinho João Pedro, o “Jotinha” (que um dia entenderá quem foi Indiana Jones). Todos eles representam aquelas crianças inteligentes, curiosas e cheias de vida que a gente fez questão de carregar para qualquer aventura pelo mundo.

Leia também:
#1 Diário sobre o Peru – relatos para a pequena Lica